Com projeto de humanização, Regional de Marabá celebra a vida de bebês prematuros

Pacientes estão em atendimento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do hospital, que é referência para 22 municípios da região Sudeste do estado

No Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, os bebês internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal participam do projeto de humanização “Mêsversário”, que comemora cada mês de vida dos prematuros em tratamento na instituição.

A iniciativa da Comissão de Humanização e equipe assistencial da unidade, que pertence ao Governo do Pará, tem ajudado as mães dos recém-nascidos a enfrentar o longo período de internação e celebrar as conquistas diárias de seus pequenos guerreiros.

Kamila Faria Borges acompanha a filha internada na UTI Neonatal do HRSP. Ela está há cerca de um mês ao lado da pequena Marina Rosa Farias, que deu entrada na unidade no dia 12 de dezembro, após o nascimento prematuro.

“Comemoramos um mês de vida da minha filha! Foi um momento de superação, porque a cada dia vivemos uma história diferente aqui. Quero agradecer do fundo do meu coração o carinho e os cuidados que recebemos da equipe da UTI Neo”, declara emocionada a mãe.

Gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde, o Hospital Regional do Sudeste do Pará é o único da região a dispor de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) exclusivas para recém-nascidos, crianças e adolescentes. São nove leitos de UTI Neonatal, nove de UTI Pediátrica, além de 11 leitos de enfermaria de cuidados intermediários pediátricos.

Izelda Martins, técnica de Enfermagem que atua há 15 anos no Regional de Marabá, explica que o projeto busca acompanhar a tradição que muitas mães adotam, de celebrar os primeiros meses de vida dos filhos, com uma simbologia importante para as famílias.

“Para as mães que acompanham e lutam pela vida dos seus filhos internados em um leito de UTI, cada dia que passa é uma vitória e motivo de esperança para a recuperação e alta hospitalar. O projeto fortalece o vínculo entre mãe e bebê, contribuindo também para a saúde mental dos pais”, enfatiza a profissional.

Flavia Fernandes, analista de Humanização do HRSP, aponta que todos os bebês internados na unidade são elegíveis para participar do projeto, bastando estar clinicamente bem e estável no dia da ação.

“Nós preparamos um cenário com um bolo fake higienizado e outros materiais descartáveis. Vestimos os bebês com roupinhas temáticas escolhidas pela mãe e registramos toda ação para ficar eternizado para os familiares. É um momento muito emocionante, que conta com apoio da equipe clínica e assistencial da unidade”, conta Flavia.