Regional de Marabá realiza cirurgias de lábio leporino e fenda palatina

Iniciativa tem parceria com ONG e já atendeu mais de 250 pacientes com anomalias congênitas craniofaciais

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP) iniciou, nesta sexta-feira (16), mais uma etapa de ampliação das cirurgias de correção de lábio leporino e fenda palatina. A unidade do Governo do Pará atua como referência para mais de 1 milhão de pessoas de 22 municípios da região.

Os procedimentos cirúrgicos realizados no HRSP são fruto de uma parceria com a Organização Não Governamental (ONG) Instituto Sorriso Legal, e beneficiam dezenas de pessoas que possuem a malformação congênita.

O agricultor Gabriel Brito Carvalho, de 24 anos, da cidade de Portel na Ilha do Marajó, é um desses pacientes encaminhados nesta sexta para o Regional de Marabá.  Há anos o jovem sonha em realizar o procedimento, pois desde criança sofre preconceito.

“Vai nascer um novo Gabriel! Sofri muito na vida devido essa malformação, foram anos de bullying quando criança. Essa cirurgia foi um grande presente de Natal que recebi, o melhor da minha vida até agora”, conta o agricultor. “Obrigado a todos que contribuíram com essa grande vitória”, agradece emocionado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), aponta que fenda palatina e lábio leporino são as mais frequentes anomalias congênitas craniofaciais, atingindo cerca de 10 em cada 10 mil crianças nascidas no mundo.

“As pessoas afetadas sofrem consequências de natureza funcional, estética, emocional e clínica, que repercutem com o aumento da incidência da pneumonia de aspiração, problemas auditivos, dificuldades de alimentação e distúrbios na fala, bem como diversos impactos psicológicos”, enfatiza o médico Alexandre Rocha, diretor Técnico do Regional de Marabá.

Ampliação

No mês de julho desse ano, as ações de correção de lábio leporino e fenda palatina foram ampliadas no Hospital Regional do Sudeste do Pará, com atendimento mensal de cerca de 12 pacientes, que passam por diversos procedimentos cirúrgicos.

“Há sete anos realizamos esse procedimento em Marabá, já foram mais de 250 pacientes atendidos. Com essa nova etapa vamos beneficiar principalmente crianças que nasceram com essa mal formação congênita. Estamos felizes com mais essa ampliação de serviço realizado pelo governo do estado no hospital”, afirma o diretor Hospitalar, Valdemir Girato.

O que é fissura labial e palatina?

Fissura labial, ou lábio leporino, é a separação do lábio superior em duas partes. Assim como a fissura palatina, essas anomalias são causadas pela junção inadequada dos dois lados da face quando o bebê ainda está no útero.

Embora não se saiba ao certo o motivo desta deficiência, ela tende a ser hereditária. Além disso, desequilíbrios hormonais, deficiências nutricionais e uso de drogas durante a gestação podem ser apontadas como possíveis causas.

A fissura palatina ocorre quando há uma abertura direta entre o palato, ou céu da boca, e a base do nariz. Durante a gestação, o maxilar superior do bebê não se fecha como deveria, deixando uma falha. Trata-se de um problema mais grave que a fissura labial, embora ambos necessitem de cirurgia corretiva.

Dificuldades de alimentação, de respiração e de fala, além de problemas psicológicos, são algumas das dificuldades enfrentadas por uma criança com fissura labial ou palatina. Por isso, quanto antes a correção for realizada, melhor será a qualidade de vida e saúde do paciente.

Fonte: Ascom/HRSP