Combate às Drogas e Alcoolismo: Hospital Regional de Marabá promove palestras de conscientização

Ação integra o projeto “Espera Humanizada”, que atua na disseminação de informações sobre saúde e bem-estar

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá (PA), promoveu nesta sexta-feira (18), palestras educativas sobre prevenção e combate ao consumo de drogas lícitas e ilícitas.

A iniciativa do HRSP integra o projeto “Espera Humanizada”, da Comissão de Humanização do hospital, que por meio da equipe multidisciplinar, dissemina informações sobre assuntos relacionados a saúde e bem-estar, para pacientes, acompanhantes e colaboradores.

Nesta semana, o tema escolhido faz alusão ao Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo, celebrado anualmente em 20 de fevereiro.

A data tem como objetivo evidenciar a problemática das drogas, a partir do alerta e conscientização da população sobre os malefícios decorrentes do uso indevido dessas substâncias, que afetam tanto o indivíduo como a sociedade, além de destacar a importância da prevenção e do tratamento.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 3% da população brasileira com mais de 15 anos é considerada alcoólatra, e 3,2%, quase 5 milhões de pessoas, fizeram uso de substâncias ilícitas no último ano no Brasil.

Na ação do Hospital Regional do Sudeste do Pará, que pertence ao Governo do Pará, sendo gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde, os profissionais percorreram corredores e unidades de internação, disseminando informações sobre os cuidados preventivos e as consequências do uso indiscriminado de álcool, fármacos e drogas psicoativas.

Natália Sousa, que veio ao hospital realizar exames, destaca que essas palestras são fundamentais para conscientizar a população. “Já conheci famílias que foram destruídas pelo álcool e pelas drogas, é muito triste. Por isso, é importante a prevenir e, se necessário, procurar ajuda de especialistas”.

A assistente social Valdejane Barros, alerta que a utilização dessas substâncias pode causar graves problemas psiquiátricos ou dependência química já no primeiro uso, com repercussões negativas nos âmbitos social, familiar e ocupacional.

“A melhor forma de evitar complicações relacionados ao uso de drogas, tanto lícitas como ilícitas, é a prevenção! Com ela, abordamos medidas educativas de conscientização e buscamos desestimular, principalmente entre os jovens, o uso dessas substâncias”, explica.

O Sistema Único de Saúde (SUS), oferece atendimento gratuito às pessoas que sofrem com o alcoolismo ou dependência química, por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), que integram uma especializada.