Hospital Regional de Marabá alerta sobre os riscos do consumo exagerado de açúcar

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, em Marabá (PA), lançou nesta sexta-feira, 19/07, a primeira exposição temporária de educação nutricional no refeitório da Unidade. Nesta edição, o alerta é sobre a quantidade de açúcar ingerida em alimentos como refrigerantes, ketchups, iogurte, bebidas energéticas e biscoitos, que concentram em uma porção pequena quase o volume diário recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 50g por dia.

A coordenadora do Serviço de Nutrição e Dietética do Hospital, Nathália Silva, comenta que, muitas vezes, a população ingere açúcar sem perceber. “Há vários alimentos que têm açúcar na sua composição, mas as pessoas desconhecem a informação. Com isso, até diabéticos acabam consumindo esses produtos”, explica. É o caso de muitos pacientes diabéticos de difícil controle atendidos no Hospital Regional de Marabá. “Doenças como diabetes podem tornar a recuperação do paciente mais lenta e, consequentemente, o custo do atendimento é maior”, complementa a nutricionista.

Além de ser o tema da exposição, o efeito negativo do consumo excessivo de açúcar também foi abordado em um bate-papo com acompanhantes das Unidades de Terapia Intensiva Neonatal e Pediátrica pela Comissão de Aleitamento Materno neste mês.

Foi em encontros como esse que a enfermeira do Núcleo de Educação Permanente, Michele Trindade, decidiu excluir o refrigerante da alimentação. “Há três meses não tomo refrigerante, desde que soube da quantidade de açúcar que ele tem. Por isso acho muita válido fazer ações como essas. Por mais que seja saboroso o alimento, com o tempo, esse açúcar vai se acumulando e é prejudicial à saúde. Não é à toa que o índice de obesidade, diabetes e hipertensão é altíssimo no País”, argumentou a colaboradora.