Hospital Regional de Marabá abre posto de coleta de óleo vegetal usado

Se a pia da cozinha ou a caixa de gordura da sua casa entupir, pode ser um sinal de que o óleo vegetal usado na fritura de alimentos está sendo descartado de forma inadequada. Foi o que aconteceu com Ivonete Rodrigues, coordenadora de Recursos Humanos do Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá (PA). ‘É horrível! Quando menos você espera, a pia fica entupida. Aí ferve a água para tentar resolver. Só quem vivenciou essa situação entende como é ruim’, afirmou a colaboradora.

Além dos transtornos para os moradores da residência, essa atitude prejudica – e muito – o meio ambiente. Cada litro de óleo que vai parar nos rios pode contaminar até 20 mil litros de água, quantidade suficiente para ser consumida por uma pessoa ao longo de 14 anos. No Brasil, calcula-se que cerca de 700 mil litros de óleo de cozinha usado são despejados na pia, no solo ou diretamente no lixo.

Pensando nisso, o Hospital Regional de Marabá abriu um posto de entrega voluntária de óleo vegetal usado, que começa a funcionar nesta semana dentro da unidade. A coleta será feita toda sexta-feira, das 8h às 8h30 e das 14h às 14h30, reunindo o resíduo utilizado em frituras nas residências dos próprios colaboradores da instituição.  Dessa forma, os profissionais que desejarem dar um destino adequado ao seu óleo deverão levar o material coado e embalado em garrafa pet.

Usuários, pacientes e moradores do entorno também poderão aderir ao projeto ECOlaborador, apresentado à unidade nesta quarta-feira (6/6) pelo analista de Sustentabilidade, Kildary Arrais. Assim como os colaboradores, eles também precisam levar o óleo coado e em garrafa de plástico. A diferença é que as doações desse público poderão ser entregues todos os dias na portaria do hospital.

O óleo recebido na unidade será depositado em um barril doado pela empresa maranhense Indama, que ficará responsável por coletar o material e transformá-lo em sabão e biodiesel. Em contrapartida, o hospital receberá produtos de limpeza para serem usados dentro da unidade e doados a instituições sociais.

Boa prática

A enfermeira Aline Belutti comemorou a iniciativa do Hospital Regional. ‘Eu acho muito interessante o projeto porque vai envolver o pessoal de dentro e de fora do hospital. É uma maneira da gente se sentir responsável pelos resíduos que produz. Além do mais, o projeto ainda vai beneficiar a população com doação de material de higiene’, afirmou a colaboradora que já faz a separação do resíduo há mais de um ano. ‘Lá em casa, a gente separa o óleo da cozinha e o que é retirado do carro quando é feita revisão. A gente junta esse óleo, entrega para uma empresa que dá em troca alguns materiais de limpeza. Antes eu até colocava dentro da garrafa pet, mas jogava no lixo. Agora, outras pessoas poderão descartar corretamente também’, completa.   

Sustentabilidade

Segundo o diretor-geral do HRSP, Valdemir Girato, o projeto ECOlaborador será promovido paralelamente a outras ações de sustentabilidade já implantadas na unidade, como a reorganização do funcionamento da bomba do sistema a vácuo, que ajuda o hospital a economizar 357 mil litros de água por mês e a consumir menos energia elétrica em relação à estrutura anterior. ‘A Pró-Saúde tem o compromisso de contribuir para o uso consciente dos recursos naturais em todas as regiões onde ela está presente. Sabemos que quando há um maior equilíbrio econômico, social e ambiental, a qualidade de vida das pessoas é bem maior. E isso é promover saúde também’, argumentou Girato.

Gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Hospital Regional também possui o selo Green Kitchen, emitido pela Fundação para a Pesquisa em Arquitetura e Ambiente (FUPAM) em reconhecimento à adoção de práticas sustentáveis na cozinha da unidade.

Em 2015, a instituição foi a primeira unidade hospitalar a receber a certificação nas regiões Norte e Nordeste. Atualmente, outros três hospitais públicos do Pará administrados pela Pró-Saúde têm o selo. São eles: o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua, o Hospital Público Estadual Galileu, em Belém, e o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, também na capital paraense.

Programação

O lançamento do projeto ECOlaborador integra a Semana do Meio Ambiente realizada até a próxima sexta-feira (8/6) pelo Hospital Regional de Marabá. A programação prevê ainda doação de mudas para os colaboradores e usuários, plantação de espécies nativas no jardim da unidade, palestras educativas para colaboradores e a participação do HRSP na mesa-redonda ‘Valorização de resíduos: do lixo ao bolso’, promovida pela Universidade do Estado do Pará (Uepa).