Voluntariado leva alegria e brincadeiras ao ambiente hospitalar

Para quem está internado em um leito de hospital, receber tratamento humanizado faz toda a diferença. O ajudante de Pedreiro José Lira, de 25 anos, sentiu na pele a importância desse cuidado. O filho dele, de seis anos, ficou internado na UTI Pediátrica do Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), localizado em Marabá (PA), em fevereiro. O menino, que andava triste e não queria tomar banho, mudou de atitude depois da visita do grupo de voluntários “Pipoca e Maionese”, que levou alegria e brincadeiras ao ambiente hospitalar.

“Antes de começar a brincadeira, meu filho estava chorando, triste, chamando pela mãe. Mas, depois ele ficou alegre, pediu até para tomar banho”, contou, José. “É legal que eles se divertem. A gente vê que quando começa a brincadeira, eles já ficam alegres, sorrindo”, completou.

“Pipoca e Maionese” foi apenas um dos grupos de voluntariado que passou pela unidade no mês de fevereiro. Os pacientes do hospital receberam ainda a visita dos grupos “Amor em Ação”, “Filhos da Caridade” e “Médicos da Alegria”. As ações acontecem semanalmente, alternando entre Unidades de Internação, Unidade de Terapia Intensiva e brinquedoteca.

Programa de voluntariado

A coordenadora de Humanização da unidade, Caroline Nogueira, explica que o Programa de Voluntariado da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, entidade gestora do HRSP, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), tem se tornado maior a cada dia.

“O objetivo inicial era melhorar a qualidade de vida dos usuários dentro do hospital, tornar o hospital um ambiente mais acolhedor, mais agradável, onde esses grupos pudessem levar alegria, amor, palavras de conforto, de apoio e atenção. Só que o programa acabou se tornando muito maior, porque a gente vê a dedicação dos nossos voluntários, de estar ali naquele momento, de se doar, de se dedicar para o nosso paciente”, ressaltou.

De acordo com Nogueira, até a energia do ambiente muda com a chegada dos voluntários e muitos são os elogios recebidos pela gestão do hospital. “A gente recebe depoimento de usuário dizendo que aquilo faz bem para eles, que melhora o processo de internação, deixando-os mais felizes. Então, isso faz aquele usuário esquecer que está internado”, afirmou.

Para a voluntária Joelma Lobato Barata, mais conhecida como ‘tia Pipoca’, o trabalho voluntário é extremamente recompensador. “É muito gratificante poder ajudar o próximo, porque a gente sabe que Deus nos deu dons e talentos para que possamos fazer o bem, e a melhor forma é com o trabalho voluntário. A gente volta para casa se sentindo muito bem, com uma energia positiva”, declarou.

Na UTI Pediátrica e brinquedoteca do HRSP, a “tia Pipoca” consegue arrancar sorriso das crianças por meio de músicas, maquiagem artística, pinturas e até fazendo bichinhos de balão, como cachorros e cobras. “O que a gente puder fazer para animar o dia deles, a gente vai fazer”, concluiu.

Adesão

Atualmente, o Hospital Regional de Marabá conta com 60 voluntários no Programa de Voluntariado. Eles atuam em diversas áreas, entre elas, musicoterapia, risoterapia, embelezamento e artesanato. Para se tornar um voluntário, entre em contato com o setor de Humanização pelo e-mail humanizacao@hrspprosaude.org.br ou pelos telefones (94) 99178-1015, 99178-1016, 99109-1017 e 99170-1018.