Campanha de doação de sangue reforça solidariedade e valor da vida

O recepcionista Osmar de Jesus perdeu as contas das vezes que já participou da Campanha de Doação Voluntária de Sangue do Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), unidade pública gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Em dez anos foram tantas doações que ele não consegue numerá-las. E, nesta terça-feira, 24/4, não foi diferente. Mesmo de férias, ele fez questão de vir à instituição para doar sangue, mostrando que solidariedade depende de atitude.

Ele conta que o desejo de ser voluntário surgiu quando a esposa precisou de transfusão. ‘Eu comecei a doar depois que a minha esposa perdeu muito sangue no parto e precisou de transfusão. Eu sofri vendo aquilo, mas, ao vê-la tomando sangue e recobrar as forças, aí percebi a importância da doação. Agora eu dôo sempre que posso. Me sinto bem porque é bom ajudar outras pessoas que precisam’, contou o colaborador.

Quem também compareceu ao Hospital Regional de Marabá para se solidarizar com a causa, foi a estudante Eliza Paixão, de 22 anos, que doou sangue pela primeira vez. ‘Eu tinha vontade, mas  faltava tempo para ir até o local de coleta. Então, nossa professora incentivou e estamos aqui para fazer o bem’, contou a voluntária, que estava acompanhada de outra ”marinheira de primeira viagem”, a também estudante do curso técnico de Enfermagem, Adrielly Rodrigues de Oliveira, de 22 anos.

Realizada de 24 a 28/4, a 30ª Campanha de Doação Voluntária de Sangue do HRSP tem o objetivo de ajudar a repor o estoque da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) – Marabá, que atende dezenas de municípios da região, sendo que o Hospital Regional é uma das instituições de saúde que mais demandam a entidade.

Cerca de 200 transfusões são feitas em pacientes da unidade a cada mês, o que representa 2.400 por ano. Isso ocorre devido ao grande número de cirurgias de média e alta complexidades realizadas no hospital e ao atendimento a vítimas de acidentes de trânsito, que, em geral, perdem muito sangue.

Segundo a coordenadora da Agência Transfusional do HRSP, Socorro Leão, a doação é um procedimento simples e rápido, não causa nenhum prejuízo à saúde do voluntário e tem um valor inestimável. ”O sangue não pode ser fabricado, mas apenas doado. Uma única doação pode salvar várias vidas porque a bolsa coletada é fracionada em vários hemocomponentes. Felizmente, a grande maioria das pessoas pode doar sangue. É uma escolha de quem tem saúde, solidariedade e amor ao próximo. É um gesto insubstituível”, afirma a médica.

Mobilização

Além dos colaboradores, usuários ambulatoriais e acompanhantes de pacientes internados também compareceram à sala de coleta para fazer a doação. Seu Jamilson Batista Aksacki, de 43 anos, que acompanha o filho caçula internado na Clínica Pediátrica, foi um deles. ”Me sinto bem em saber que estou fazendo o bem a alguém”, disse o agropecuarista.

Universitários se juntaram à causa. Emilly Silva, de 18 anos, e Jayne Modolon, de 19 anos, são alunas do curso de Biomedicina da Universidade do Estado do Pará (Uepa). Elas vieram à unidade com um grupo de estudantes, para conhecer as instalações do Laboratório de Análises Clínicas, e aproveitaram para fazer a primeira doação de sangue. ‘Por conta do curso, a gente sabe ainda mais da importância do sangue para a vida, o quanto ele é útil. Isso nos motiva ainda mais a fazer parte do voluntariado’, conta Jayne.

Para os jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia, do bairro Folha 29, a campanha foi estabelecida como uma etapa a ser cumprida para um acampamento que será realizado em novembro. Eles estão se preparando para o evento desde janeiro, tendo como metas doar sangue, visitar autoridades e doar alimentos a quem precisa.

De acordo com a líder do grupo, Ana Caruline Alves, de 21 anos, esta é uma maneira de demonstrar o amor de Jesus por meio de simples gestos. ”O amor ao próximo é um dos mandamentos e esta é uma forma mostrar o papel do cristão na sociedade”, argumenta a estudante.

Coletas

As coletas de sangue pela 30ª  Campanha de Doação Voluntária de Sangue do HRSP continuam até a próxima sexta-feira, 28/4. As pessoas interessadas em participar dessa corrente solidária, devem se dirigir ao Hemopa Marabá, na Rodovia Transamazônica, quadra 12, s/n, próximo à sede da Polícia Rodoviária Federal, no núcleo Cidade Nova. O atendimento é realizado somente no período da manhã, das 7h às 13h.

Para ser doador é preciso estar bem de saúde e alimentado no dia, ter idade entre 16 e 69 anos, pesar pelo menos 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto, como carteira de identidade ou habilitação de motorista. Doadores com menos de 18 anos precisam da autorização dos pais ou dos responsáveis legais.