Hospital Regional de Marabá reforça cuidados para evitar lesões de pele

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, adotou o Protocolo de Prevenção e Manutenção da Integridade da Pele no atendimento a pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto. A medida visa evitar o aparecimento de dermatite associada à incontinência (DAI) e lesão por adesivo, fatores de risco para a lesão por pressão, situação que pode comprometer a recuperação no ambiente hospitalar.

Usuários restritos ao leito estão mais suscetíveis a lesões de pele, pois possuem pouca ou nenhuma mobilidade. Por isso, segundo o diretor de Enfermagem, Leisson Pinheiro, o protocolo será iniciado pela UTI. ‘Este é o local onde há um maior quantitativo de pacientes com quadro clínico crítico e acamados, portanto, mais suscetíveis a lesões de pele. Também é onde há um maior número de banhos de leito, e o cuidado com a pele também está presente nesse momento, pois há técnicas e produtos específicos para esse atendimento, justamente, para prevenir lesões”, afirma o enfermeiro.

O cuidado com o paciente, para evitar ou tratar essas lesões, envolve profissionais de diversas áreas, como enfermeiros, técnicos de Enfermagem, fisioterapeutas, nutricionistas, médicos, farmacêuticos e psicólogos. Uma equipe multiprofissional é responsável por supervisionar, monitorar e avaliar as ações de prevenção e tratamento de lesões, dentre outras atribuições. ‘Por exemplo, quando um paciente tem risco de lesão por pressão, o nutricionista atua para aumentar o suporte nutricional calórico e, com isso, diminuir o risco de abrir uma ferida. Outro exemplo é o paciente com dermatite associada à incontinência. Nessa situação, o fisioterapeuta pode trabalhar para fortalecer os músculos do assoalho pélvico do usuário’, explica Leisson.

Para a fisioterapeuta convidada, Luciana Carvalho, que ministrou o primeiro treinamento sobre o novo protocolo para os profissionais que atuam na instituição, no dia 29/3, esse esforço visa melhorar a qualidade do atendimento prestado no HRSP, unidade pública gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

”O hospital está trabalhando a partir de protocolos, embasados em evidências científicas, com o objetivo de manter íntegra a pele dos pacientes e reduzir as lesões por pressão, mas não só elas. A gente vai trabalhar em cima de todos os fatores de risco para o comprometimento da integridade dessa pele”, comenta Luciana. 

Mudança de decúbito

Como parte do processo de prevenção dessas lesões, o Hospital Regional do Sudeste do Pará também adota a mudança de decúbito a cada duas horas, para descompressão de área do corpo sob proeminência óssea. Para indicar o momento da movimentação do paciente no leito, a unidade adotará uma campainha na UTI. Assim, enfermeiros e técnicos de Enfermagem farão o processo ao mesmo tempo em todos os pacientes com indicação de mudança de decúbito.

Essa medida integra o Protocolo de Prevenção de Lesão por Pressão, estabelecido pelo Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Segurança do Paciente, também implantado no HRSP, para evitar fissuras e, com isso, possíveis infecções no ambiente hospitalar.

Os pacientes são avaliados diariamente pela Enfermagem para identificar o grau de risco de lesão por pressão, com base na escala de Braden, adotada internacionalmente, que analisa aspectos como percepção sensorial do paciente, umidade e condições nutricionais, entre outros.